Bem-vindo/a ao blog da coleção de História nota 10 no PNLD-2008 e Prêmio Jabuti 2008.

Bem-vindos, professores!
Este é o nosso espaço para promover o diálogo entre as autoras da coleção HISTÓRIA EM PROJETOS e os professores que apostam no nosso trabalho.
É também um espaço reservado para a expressão dos professores que desejam publicizar suas produções e projetos desenvolvidos em sala de aula.
Clique aqui, conheça nossos objetivos e saiba como contribuir.

sábado, 5 de julho de 2008

"Blue Eyes, Brown Eyes"- "Olhos azuis, olhos castanhos", belíssimo exercício de empatia

"Olhos Azuis" ("Blue Eyes"), Documentário 93 minutos, 1996.

Olhos azuis, olhos castanhos: um exercício com Jane Elliott documenta o trabalho dessa professora, socióloga estadunidense que em resposta a intolerância racial que culminou no assassinato de Martin Luther King há 40 anos, iniciou suas experiências empáticas de educação para a igualdade racial em uma sala de terceira série primária.

A primeira vez que assisti a este documentário queria que todos os professores brasileiros o assistissem. Eu acredito que ao vê-lo ninguém jamais ficará impassível, a não ser que já tenha naturalizado tanto o preconceito, a ponto de deturpar a própria capacidade de ver, sentir e refletir.

Para mim, a síntese da importância deste trabalho é feita pela professora Elliot na parte 10 (reproduzida ao final deste post juntamente com as demais partes de Blue Eyes).

Basicamente, a proposta desta socióloga é fazer as pessoas sentirem e pensarem a respeito de seus preconceitos experimentando ser alvo deles durante um exercício. Parece uma idéia simples e todos quando se submetem ao exercício sabem do que se trata a proposta, mas é impressionante como as pessoas se transformam emocionalmente ao experimentá-lo. E é impressionante como Elliott consegue, com o exercício, deixar claro (aos participantes e a nós expectadores) os mecanismos sutis de dominação.

No exercício a turma é dividida em olhos azuis e castanhos e um grupo é escolhido para ser 'superior' e outro para ser inferiorizado e o critério é exclusivamente a cor dos olhos (como no racismo é a cor da pele e os fenótipos negróides ou no sexismo, o gênero feminino ou na homofobia, a orientação sexual). Enfim, na atividade as pessoas se dão conta como o preconceito, a intolerância, a discriminação se sustentam basicamente em uma classificação irracional de fatores arbitrários.

Numa palestra em um auditório lotado, ela provoca: "Algum branco gostaria de receber o mesmo tratamento dados aos cidadãos negros em nossa sociedade? Levante-se. (...) Ninguém se levantou (ela observa). Isso deixa claro que vocês sabem o que está acontecendo. Vocês não querem isso para vocês. Quero saber por que, então, aceitam isso e permitem que aconteça com os outros."

Jane Elliott ganhou um Emmy pelo documentário de 1968 "The Eye of the Storm", em que aplicou o exercício de discriminação em uma sala de aula da terceira série, baseada na cor dos olhos das crianças. Hoje, aposentada, ela desenvolve workshops sobre racismo para adultos.

"Olhos Azuis" é o documentário sobre este trabalho e há cenas do documentário de 1968 e o emocionante encontro dela com seus alunos da terceira série já adultos e com filhos.

Fiquei muito quando um amigo me encaminhou o link deste documentário e pude trazê-lo para cá. Divido com vocês e tenho certeza que vão aproveitar e refletir.


Conheça o site oficial de Jane Elliott, clique aqui

parte 1



parte 2



parte 3



parte 4



parte 5



parte 6



parte 7



parte 8



parte 9



parte 10



parte 11



Parte 12

Um comentário:

dEVO disse...

Extremamente estimulante seu blog!