Bem-vindo/a ao blog da coleção de História nota 10 no PNLD-2008 e Prêmio Jabuti 2008.

Bem-vindos, professores!
Este é o nosso espaço para promover o diálogo entre as autoras da coleção HISTÓRIA EM PROJETOS e os professores que apostam no nosso trabalho.
É também um espaço reservado para a expressão dos professores que desejam publicizar suas produções e projetos desenvolvidos em sala de aula.
Clique aqui, conheça nossos objetivos e saiba como contribuir.

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Ainda o Kosovo e o Tibet

Postagens relacionadas

Ainda Cuba e Kosovo

Outra crise nos Bálcãs?

Ainda o Tibet, um pouco de História

Repressão do governo chinês aos tibetanos


Rui Martins

Publicada em: 06/04/2008

PELO TIBET E CONTRA OS JOGOS ?

.

Berna (Suiça) - Vejam bem, são duas histórias com fins parecidos mas com interpretações opostas. Como alguns acham que a verdade está na direita e outros juram pela esquerda, adotando nos dois casos comportamentos dignos de dogmatismo religioso, deixo a questão sem resposta na expectativa que encontrem a boa solução.

Comecemos com o Kosovo, ex-província sérvia, recentemente transformada no mais novo país independente do planeta, reconhecido por um grande número de países ocidentais.

Pois bem, segundo os historiadores, a nação sérvia teria começado no Kosovo, no século VII, onde chegou mesmo a se instalar a corte do rei Douchan. Próximos dos bizantinos, os sérvios do Kosovo foram católicos ortodoxos até 1389, quando derrotados pelos turcos, passaram a pertencer ao Império Otomano e mudaram de religião, passando a ser muçulmanos.

Descendentes de albaneses, os habitantes do Kosovo poderiam ter se unido à Albânia, mas com o fim do Império Otomano e a independência albanesa de Constantinopla, o Kosovo voltou a ficar com os sérvios, já com uma população minoritária na região.

Na época de Tito, o Kosovo desfrutava da situação de província autônoma que Milosevic anulou, numa tentativa de impedir o crescimento do movimento separatista, e diante das violências cometidas, ocorreu a intervenção da Otan e das potências ocidentais. Depois de um período sob o governo da ONU, o Kosovo conquistou faz pouco sua independência. Sob o protesto da Rússia e de todos quantos apoiavam os sérvios por considerarem o Kosovo um território historicamente sérvio.

Vamos agora ao Tibet, hoje nas manchetes dos jornais e nos protestos contra os Jogos Olímpicos na China, na passagem da tocha olímpica em Londres e Paris, que deverão aumentar, prevendo-se um boicote não dos Jogos mas da cerimônia de abertura.

Segundo os historiadores, o primeiro reinado tibetano ocorreu por volta de 127 AC e o budismo ali foi implantado em 641 depois de Cristo. O terceiro Dalai-Lama foi reconhecido por volta de 1570 pelo chefe mongol Altan Khan. Em 1720, a China passou a exercer um protetorado sobre o Tibet. Os ingleses chegaramm ao Tibet em 1903 e o Dalai-Lama se refugiou por cinco anos na Mongolia. Em 1910, os chineses atacaram o Tibet, o Dalai-Lama fugiu e voltou, três anos depois, para declarar a independência do chamado Teto do Mundo. Em 1950, as tropas de Mao invadiram e tomaram o Tibet, que passou a ser província chinesa, governada pela China, pelo Dalai-Lama e pelo Panchen Lama.

Porém, uma revolta em 1959, em Lhassa foi fortemente reprimida pelos chineses e o Dalai-Lama, sentindo-se ameaçado, fugiu para a Índia, onde formou um governo em Dharamsala.

A teocracia budista tibetana foi submetida a fortes pressões e houve ataques antes e depois da Revolução Cultural, o ensino passou a ser feito em chinês e não em tibetano e um plano atual de migração chinesa incentiva sua instalação e desenvolvimento na região, onde os tibetanos já são minoritários.

Afinal, o Kosovo é dos sérvios ou dos kosovares ? O Tibet é dos chineses ou dos budistas fiéis ao Dalai Lama ? O Iraque é dos americanos ou dos iraquianos ? A Amazônia é nossa ou propriedade internacional ?

Complicado ? Talvez nem tanto.

Sobre o autor: Ex-correspondente do Estadão e da CBN, após exílio na França. Autor de O dinheiro Sujo da corrupção; sobre a Suíça e Maluf. Criou os Brasileirinhos Apátridas e propões o Estado dos Emigrantes. Vive na Suíça, colabora com jornais portugueses Público e Expresso.

Um comentário:

Senhor_do_Servo disse...

Ah, muito obrigado!
E eu finalmente achei seu blogue, que há de me servir como guia...
:}